Treinamento de gerente: comece a desenvolver líderes

treinamento de gerente

Sua empresa está desenvolvendo constantemente a liderança? O treinamento de gerente é uma base elementar para criar uma cadeia de engajamento e resultado em uma organização.

Nós não usamos a palavra liderança à toa. Existe uma diferença clara entre gestor e líder. Gestor é aquele que gerencia. Muitas vezes, seu principal objetivo é garantir as entregas e manter a engrenagem da organização, a partir de um ponto de vista técnico – o que é um papel muito importante e que proporcionou o crescimento e desenvolvimento de muitas empresas.

O líder, por sua vez, atinge o mesmo objetivo por meio das suas habilidades humanas. Ele é capaz de despertar e descobrir o melhor de cada um do seu time. A diferença é que, pelo envolvimento de cada um no projeto, os resultados podem ser inovadores, disruptivos e até mais rápidos.

Transformar um gestor em um líder é um processo que leva dedicação do próprio profissional e também de programas de desenvolvimento, do lado da empresa. Alguns dados podem ajudar a refletir melhor sobre como gerentes estão começando a atuar nessa posição.

Pesquisa divulgada no site Lessonly, revela que 58% dos gerentes ocupam seus cargos sem ter nenhum treinamento para a função. Outra pesquisa revela que 60% dos gestores falham em suas posições em até dois anos.

Essa visão é importante para reconhecer que não basta apenas promover pessoas a cargos de gerência: é preciso oferecer ferramentas para que possam favorecer seu crescimento e, consequentemente, do próprio time.

Por que tornar gerentes em líderes?

Líderes, ao criarem e fortalecerem relações, são capazes de oferecer ao seu time algumas coisas que são intangíveis, pois são absolutamente humanas. Sentimento de segurança, propósito e realização.

A segurança diz respeito a desafios e inovações. Naturalmente, todo ser humano tem dificuldades para deixar sua área de conforto. Em um novo projeto, por exemplo, com um líder como guia, o colaborador se sente à vontade para enfrentar a nova situação, pedindo conselhos e sabendo que poderá contar com esse apoio em condições positivas ou adversas.

O propósito está muito ligado à integração. Um líder não raciona informações, ele compartilha e divide os objetivos da área para que cada processo seja entendido como fundamental para as entregas mais importantes. Dessa forma, atividades operacionais se tornam menos enfadonhas.

Já a realização diz respeito ao desejo de atingir as metas profissionais. O líder, ao desenvolver o colaborador, identifica suas principais qualidades e direciona seu desenvolvimento por esse caminho, cuidando do crescimento profissional do colaborador.

Agora que já sabemos a importância de transformar gerentes em líderes, veja algumas dicas para criar um canal de desenvolvimento desse tipo nas empresas.

Treinamento de gerente: agendas macro que não podem faltar

Como mencionamos anteriormente, empresas que desejam capacitar cada vez mais seus líderes precisam planejar um programa de treinamento com esse foco. Veja quais são as agendas macro que não podem faltar:

  • Conhecendo a própria equipe

Um líder conhece as qualidades e pontos a melhorar de cada um do seu time, mas como se aproximar e reconhecer esses pontos? Os treinamentos podem oferecer técnicas e ferramentas para isso. Sejam dinâmicas em grupo – que podem ser completamente gratuitas – ou plataformas de avaliação comportamental. É importante que o líder domine essa leitura para entender o perfil de cada integrante do seu time.

  • Delegando tarefas

O importante de conhecer bem a própria equipe é poder administrar da melhor forma a atuação de cada um dentro do time e, para isso, é fundamental saber o que cada um faz de melhor. Delegar tarefas é mais do que esperar uma execução: é estar disponível para compartilhar dúvidas, estar ao lado em momentos de crise e comemorar etapas concluídas.

Além disso, dar autonomia e não delegar por delegar – com o objetivo de se não se responsabilizar pelas demandas mais onerosas. Em um treinamento com esse foco, portanto, podem ser abordados os seguintes temas:

  • Como escolher o colaborador ideal para cada demanda?
  • Como dar direcionamentos claros?
  • Não esquecer de dar os créditos;
  • Ouvir, ouvir e ouvir.

O trabalho de escuta é fundamental. É a partir desse exercício que o líder será capaz de tomar as melhores decisões e de também criar vínculos, uma experiência que gera os mesmos resultados quando testados na vida pessoal.

Conclusão

Quanto mais adversa é a situação, mais necessária é uma liderança positiva e eficaz. Nos tempos de Covid-19, por exemplo, a empatia e transparência dos líderes fizeram a diferença na vida de incontáveis colaboradores. A confiança, a comunicação sem enganação e o respeito às inevitáveis mudanças as quais todos tivemos/temos que passar foram fundamentais para manter times engajados.

Por isso, ser apenas gestor não é suficiente, é preciso saber mobilizar na hora certa. O que só acontece quando a relação é sólida e verdadeira. Mais do que se ocupar com o conteúdo das entregas, no lugar de administrá-las, o líder cuida que cada pessoa esteja suficientemente motivada para cuidar das atividades designadas a ela, que aprende a usar a autonomia a seu favor.

Porém, como a liderança pode não ser inata, o papel das empresas – ao escolher um novo líder – é oferecer oportunidades de desenvolvimento e uma estrutura de feedback que permita sempre o crescimento. Para isso, uma agenda de treinamento de gerente é o caminho principal e mais simples.

Mas é preciso que seja contínuo para que o refletir sobre esse papel tão importante, que mexe com sentimentos e carreiras, seja cada vez mais eficiente.

A autocrítica, a crítica e visão do futuro são requisitos que não podem faltar para quem está percorrendo os primeiros passos em uma função indispensável para empresas que buscam se modernizar por meio de uma gestão 4.0.

Fale agora mesmo com um de nossos especialistas! 

 

 

Captcha obrigatório

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *