Capacitação estratégica? Levante os indicadores de treinamento

capacitação estratégica

O desenvolvimento de pessoas nas organizações é um trabalho contínuo e, além disso, trata-se de um trabalho muito importante. É a partir dele que habilidades estratégicas para as empresas podem ser aprendidas e não há nenhum problema nisso: é muito mais fácil ensinar uma competência necessária que adequar necessidades culturais, por exemplo. 

Ainda assim, os desafios das equipes que organizam os treinamentos são diversos: qual temática escolher, em qual canal oferecer o curso e como escolher os indicadores de treinamento ideais?

Temos certeza de que seu objetivo, ao consultar este artigo, é saber como alcançar os melhores resultados. Então, continue a leitura! Vamos compartilhar os principais indicadores de treinamento que você pode usar e também quais paradigmas precisa considerar para criar seus cursos de desenvolvimento. Vamos lá?

Por que levantar os indicadores?

Com os indicadores de treinamento, é possível identificar melhorias e se tornar mais relevante na organização. Para isso, é preciso comprovar o efeito que boas capacitações podem fomentar em um colaborador.

1 – Treinamento tem que ser estratégico

As organizações têm objetivos em vários níveis. Para atingi-los, é preciso estratégia, organização e, se necessário, aprendizado. Daí, os treinamentos se tornam prioridade e ganham visibilidade. Por isso, ao planejar a agenda de desenvolvimento de pessoas, considere o planejamento estratégico anual da sua empresa.

Dessa forma, o departamento de Recursos Humanos precisa estar alinhado à empresa para atingir esse objetivo. É uma tática para ter relevância, visibilidade e impacto: o que vai gerar mais oportunidade de treinamentos para toda a organização.

2 – Como fazer isso?

Escute as necessidades e impressões da diretoria, dos gestores e dos demais colaboradores. Esteja atento ao desempenho das equipes em atividades micro e macro, avalie como o desenvolvimento de pessoas pode atuar e invista em treinamentos.

Porém, como comentamos anteriormente, apresentar resultados é o que realmente confirma o sucesso de uma capacitação. Agora vamos contar quais são os principais indicadores de treinamento.

3 – Número de inscritos

Além do dado bruto, quando os cursos não são obrigatórios. Essa catalogação pode ser útil, em médio e longo prazo, para comprovar se as melhorias, que ocorrem com o tempo nos treinamentos, impactaram a audiência a ponto de aumentar a média de participantes.

4 – Número de desistência

Da mesma forma que no item anterior, esse indicador de treinamento também demonstra claramente o interesse nas capacitações oferecidas. Vale sempre a pena acompanhar esse dado de perto para saber quais são as razões para o declínio na participação.

5 – Tempo de treinamento

Outra maneira de verificar como anda a agenda de treinamento, ainda mais a longo prazo, e acompanhar a oferta hora/ano de capacitação. Isso é um dado claro sobre como a organização está priorizando essa atividade.

6 – Antes x Depois

O objetivo da capacitação é oferecer novos conhecimentos ou atualizá-los. Por isso, uma primeira forma de avaliar se o desenvolvimento trouxe alguma mudança imediata é registrar o conhecimento do participante antes e depois do treinamento.

Essa etapa pode ser feita on-line, por meio de uma ferramenta digital ou até mesmo pelo meio tradicional: o papel. Ou seja, é uma possibilidade acessível para você começar a levantar dados sobre os cursos oferecidos na organização.

É mais comum disponibilizar uma avaliação sobre a qualidade da capacitação. No modelo que propomos aqui: haverá uma prova antes e após a conclusão do treinamento para aferir se o aprendizado inicial foi assimilado.

7 – Metas

Os indicadores apresentados aqui, sem dúvida, podem se utilizados para avaliação do time de Recursos Humanos, entretanto, as metas que nos referimos aqui são a forma mais ousada e eficaz de mostrar a eficiência das capacitações.

Ao oferecer treinamentos vinculados às estratégias dos times e da organização, de forma global, preenchendo lacunas com o conhecimento necessário para atingir metas e, assim, gerar inovação e receita, o curso realmente completa sua missão.

Por isso, o ideal é o que o indicador de treinamentos também considere esse aspecto: o quanto a capacitação foi relevante para as metas alcançadas e também quando foi ineficaz. Uma avaliação com gestor e time, após o fechamento de ciclo de metas, pode ser a forma de avaliar esse ponto.

8 – Valor investido

Esse indicador está muito relacionado às metas. Afinal, se o treinamento estiver diretamente ligado às conquistas da empresa, a verba para as captações será cada vez maior. Porém, pode também haver o caso em que há um limite para gasto anual e aí é preciso estar de olho e mais: fazer mais com menos.

9 – Diversifique o treinamento

O treinamento, muitas vezes, traz a sensação da sala de aula. Um emissor e uma audiência. Porém, até as aulas – com a pandemia da Covid-19 – trouxeram uma nova perspectiva e os treinamentos também podem passar por essa atualização.

Algumas opções já estão no mercado e fazendo diferença no dia a dia das organizações:

  • Gamificação: leve os conceitos de desafio e recompensa para as capacitações. O resultado é mais engajamento e trabalho em equipe, além de feedback em tempo real.
  • Cursos online com interação direta: em vez do treinamento com fala unilateral, opte por cursos que tenham interação. Sejam atividades em grupo ou individuais.
  • Recursos digitais: aproveite a proximidade com os principais canais digitais, como redes sociais, e ofereça treinamentos partindo do mesmo conceito. Não esquecendo da interação.

Conclusão

O objetivo dos indicadores de treinamento é comprovar a função estratégica da capacitação. Ela pode ser mais que uma obrigação e passar a ser algo relevante e fundamental para as metas das organizações. E isso pode ser alcançado por uma simbiose entre treinamento e necessidade dos times.

Para isso, é preciso estar lado a lado com todos os níveis, definir prioridades a respeito das necessidades estratégicas e operacionais: pensando no todo.

Além disso, investir em novos modos de oferecer capacitação é um antídoto à rejeição sofrida pelos cursos que, muitas vezes, trazem consigo a imagem de uma experiência unilateral, em que somente um fala e os demais ouvem e absorvem o conteúdo, sem troca.

Aproveite este artigo para repensar como levantar pontos estratégicos e comece a dar mais visibilidade ao treinamento. Muitos se encantarão com todas as vantagens que uma boa capacitação pode gerar.

Captcha obrigatório

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *